Fonte: Boa Saúde
Data de publicação: 19/06/09

Dia Mundial da Doença Falciforme

 

Nesta sexta-feira, 19 de junho, será comemorado o primeiro Dia Mundial da Doença Falciforme. Adotado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 22 de dezembro do ano passado, o Dia Mundial da Doença Falciforme foi estabelecido em reconhecimento da doença no sangue como um problema de saúde pública e "uma das principais doenças genéticas do mundo".

A doença falciforme é uma das doenças hereditárias mais comuns no Brasil e apresenta, já nos primeiros anos de vida, manifestações clínicas importantes, o que representa sério problema de saúde pública no país. Daí a importância de seu diagnóstico precoce (no teste do pezinho, realizado no quinto dia de vida do recém-nascido), do tratamento adequado e do acompanhamento especializado.

A principal característica dessa condição é a herança do gene da hemoglobina S, que faz com que, em determinadas circunstâncias, as hemácias – que normalmente são em forma de disco – adquiram formato de foice. E, em situações específicas, como baixa tensão de oxigênio e baixas temperaturas, as hemácias falciformes tornam-se rígidas, aderindo-se à parede dos vasos sanguíneos obstruindo-os e dificultando a circulação do sangue.

Entre os objetivos da resolução A/63/L63, que estabeleceu o Dia Mundial da Doença Falciforme – proposta por especialistas da República Democrática do Congo, iniciada pela Organização Internacional de Doença Falciforme e assinada por 20 países, incluindo o Brasil – destaca-se a instituição do dia 19 de junho de cada ano para ser dedicado a campanhas de educação e sensibilização sobre a doença em níveis nacional e internacional.

 
 

 
© 2008 Centro Universitário São Camilo. Todos os direitos reservados