Fonte: Saúde Business Web
Data: 12/05

Duas mulheres marcaram a história da enfermagem

 

por *Célio Pezza
12/05/2011

Em artigo, escritor homenageia Florence Nightingale e a brasileira Ana Néri, ambas enfermeiras de guerra


Dia 12 de maio comemora-se mundialmente o Dia do Enfermeiro, em homenagem a Florence Nightingale, um marco da enfermagem que nasceu em 12 de maio de 1820. Também comemoramos no Brasil, no dia 20 de maio, o dia Nacional dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem, em memória do falecimento de Ana Neri em 20 de maio de 1880. Maio é o mês das Mães e nada mais justo do que falar sobre estas duas mulheres tão valorosas, que foram mães de muitos soldados feridos e prestar uma singela homenagem a todos os enfermeiros (as) que se entregam de corpo e alma a esta nobre tarefa de cuidar de nossa saúde.

Florence Nightingale - A Dama da Lâmpada

Nasceu em 12 de maio de 1820, em Florença, Itália. Em 1845, em Roma, no desejo de tornar-se enfermeira, estudou as atividades das Irmandades Católicas e, em 1849, decidiu trabalhar em Kaiserswert, Alemanha, entre as diaconisas. Em 1854 foi enfermeira de guerra e, durante os combates, os soldados fizeram de Florence o seu anjo da guarda, pois de lanterna na mão percorria as enfermarias dos acampamentos, atendendo os soldados doentes. Por este motivo ela ficou conhecida mundialmente como A Dama da Lâmpada. Ao retornar da guerra em 1856, recebeu um prêmio em dinheiro do governo inglês em reconhecimento ao seu trabalho. Ela usou este dinheiro e deu início à Primeira Escola de Enfermagem, fundada no Hospital Saint Thomas, em 1859.

Ana Néri

Ana Néri nasceu em 13 de dezembro de 1814, na cidade de Cachoeira, na Bahia. Em 1864, quando seus dois filhos foram convocados para a Guerra do Paraguai (1864-1870), ela não resistiu à separação da família e colocou-se à disposição do governo para ir à guerra, sendo considerada a primeira enfermeira voluntária do Brasil. O seu nome foi dado à primeira Escola de Enfermagem oficializada pelo Governo Federal, em 1923. Ana Néri faleceu no Rio de Janeiro, em 20 de maio de 1880.

Origem da profissão

Desde antes de Cristo que a profissão de enfermeiro já era conhecida, mesmo sem ter este nome. Eram aqueles homens e mulheres abnegados que cuidavam dos doentes, idosos e deficientes, garantindo a sua sobrevivência. Com o tempo, estes cuidados de saúde evoluíram e, entre os séculos V e VIII, a Enfermagem surgiu entre os religiosos, como um sacerdócio. No século XVI, a Enfermagem já começa a ser vista como uma atividade profissional institucionalizada e, no século XIX, como Enfermagem moderna na Inglaterra.

A partir daí, foram definidos padrões para a profissão e a ANA (American Nurses Association) definiu que o objetivo principal do trabalho de Enfermagem é o de cuidar dos problemas de saúde, educar para saúde, ter habilidades em prever doenças e o cuidado do paciente.

A palavra Enfermeira/o se compõe de duas palavras do latim: "nutrix", que significa mãe, e do verbo "nutrire", que tem como significados criar e nutrir. Essas palavras, adaptadas ao inglês durante o século XIX, se transformaram na palavra Nurse que significa Enfermeira.
Como vemos, a palavra "mãe" está presente até na formação do nome da profissão destes heróis da saúde, que muitas vezes nos acompanham desde o nosso nascimento até a nossa morte, como verdadeiros anjos guardiões.

*Célio Pezza - escritor e romancista

 
 

 
© 2008 Centro Universitário São Camilo. Todos os direitos reservados